GovernançaPlano 1Previ Futuro

Resultado de 2019: Plano 1 mantém equilíbrio e Previ Futuro dobra meta atuarial

Márcio de Souza

A diretoria da Previ apresentou nessa segunda-feira 9 de março, na sede da entidade no Rio de Janeiro, o resultado de 2019 dos dois planos de benefícios às entidades representativas do funcionalismo do Banco do Brasil. O Plano 1 fechou com resultado positivo em R$ 968,32 milhões e uma rentabilidade de 10,55%, superior à meta atuarial de 9,71%. Já o Previ Futuro teve rentabilidade acumulada de 20,12%, mais que o dobro da meta atuarial.

Em 2019 a Previ ultrapassou pela primeira vez a barreira dos R$ 200 bilhões em investimentos. O Plano 1 fechou com investimentos de R$ 196,1 bilhões, o que o mantém, com sobras, na primeira posição no ranking dos fundos de pensão da América do Sul. Tem 112.190 associados, sendo que 92,9% já estão aposentados.

Com o impacto de R$ 5,11 bilhões da revisão das premissas atuariais, o resultado do Plano 1 no exercício ficou deficitário em R$ 4,15 bilhões, mas mesmo assim com um superávit acumulado de R$ 2,38 bilhões. Leia mais aqui.

Com apenas 22 anos de existência, o Previ Futuro já é o quarto maior plano de previdência complementar do país, com investimentos de R$ 19,4 bilhões em dezembro. O plano tem 85.171 associados, dos quais 97,4% na ativa. Saiba mais sobre o resultado do Previ Futuro.

Diversificar investimentos para garantir solidez

“Esse cenário de juros baixos na economia traz pra nós gestores da Previ um grande desafio: como aplicar corretamente os mais de R$ 200 bilhões dos nossos associados. Estamos fazendo um trabalho grande de trazer liquidez para nossas posições acionárias e também buscando desconcentrar as nossas posições, investindo em novos setores promissores da nossa economia”, explica no vídeo abaixo o diretor eleito de Administração da Previ, Márcio de Souza.

“Não foi por outro motivo que nós refizemos o acordo de acionistas da Vale em 2017, trazendo liquidez para nossas ações. Não foi por outro motivo que nós participamos do lançamento de ações da Neoenergia”, acrescenta Márcio de Souza. “E agora estamos buscando novos mercados, investindo em fundos imobiliários e em fundos de multimercados, ampliando nossa participação no exterior, buscando capturar oportunidades em outros países. Em setores, por exemplo, de tecnologia, que são setores que podem trazer muita rentabilidade pro nosso plano.

Resumindo, conclui o diretor eleito de Administração, “estamos diversificando as aplicações, buscando mitigar riscos e garantir o equilíbrio técnico, garantir a rentabilidade necessária para permitir que continuemos com uma Previ saudável, garantindo um Plano 1 saudável, garantindo a tranquilidade de todos nós associados”.

Confira no vídeo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 5 =